INFORMAÇÕES GERAIS

  • Para submissão o autor deve estar previamente inscrito no sistema (é necessário CPF ou Passaporte, se for estrangeiro).
  • Os trabalhos devem ser submetidos em português, inglês ou espanhol e no formato “doc.”.
  • Atender a categoria:Comunicação Oral ou Pôster
  • Contemplar um dos eixos temáticos.
  • Cada trabalho será avaliado por, pelo menos, dois pareceristas.
  • Os trabalhos só serão avaliados se cumprirem a formatação exigida.
  • Somente serão aceitos trabalhos em versão definitiva que cumprirem as exigências dos pareceristas (exceto em casos onde os autores demonstrem inconsistência no parecer), normas e prazos.
  • Para os trabalhos aprovados em co-autoria, serão custeadas a passagem e a hospedagem somente de um autor, que seja profissional do Susp, dentro da capacidade permitida pelas normas vigentes de vigilância sanitária.
  • Cada trabalho apresentado receberá um único certificado, indicando todos os autores.


CRONOGRAMA DE SUBMISSÃO DE TRABALHOS

Período

Atividade

09/08

Divulgação do site

30/08 a 01/10

Sistema aberto para submissão de trabalhos

11/10 a 17/10

Revisão dos trabalhos

18/10

Divulgação dos pareceres dos trabalhos

18/10 a 22/10

Envio do trabalho para quem teve atividade aprovada com ressalvas

25/10

Envio definitivo do trabalho com as alterações e identificação

26/10

Confirmação de interessados em apresentar presencialmente

Os trabalhos deverão enquadrar-se em um dos eixos temáticos listados a seguir. Essas informações deverão ser indicadas no trabalho e também no formulário de submissão on-line. O comitê científico poderá alterar eixo e sugerir alteração de categoria.

EIXOS TEMÁTICOS

1 GESTÃO, INTEGRAÇÃO, ARTICULAÇÃO e GOVERNANÇA

Possibilita a compreensão das estruturas organizacionais, de governança, da história e da dinâmica das instituições de segurança pública nos diversos sistemas existentes, sejam em nível estratégico, operacional ou tático. Inclui a discussão crítica e contextualizada da atuação dos diferentes órgãos e carreiras profissionais que compõem as instituições responsáveis pela segurança pública, destacando as competências, os pontos de articulação existentes, as interfaces e a interatividade das respectivas ações, com vistas a instrumentalizar o profissional para a participação no desenvolvimento das políticas integradas da área.

  1. Ambiente institucional do Sistema de Segurança Pública – compreender a influência da estrutura institucional do Estado, da inserção internacional, da opinião pública, das corporações profissionais de segurança pública, dos movimentos sociais, da cultura e de outros aspectos sociais sobre a operação e legitimidade das organizações de segurança pública.
  2. Governança em organizações de Segurança Pública – estudar os princípios, as Leis, os regulamentos, as políticas, as práticas corporativas, a accountability, análise econômica e econometria, consolidados sob a forma de mecanismos de liderança, resiliência, estratégia e controle para avaliar, direcionar e monitorar a segurança pública, com vistas à condução de políticas públicas e à prestação de serviços de interesse da sociedade.
  3. Estratégia e gestão da Segurança Pública – compreender princípios de articulação para a integração e desempenho de organizações de segurança pública; os elementos e estratégias no âmbito da gestão pública que possam contribuir para o entendimento da interface público-privado-terceiro setor, vinculados à segurança pública. Analisar os modelos de gestão adotados pelas instituições e a articulação entre os integrantes do sistema de segurança pública e as esferas governamentais.
  4. Protocolos, procedimentos, diretrizes – entender as atividades realizadas nas instituições de segurança pública que possam nortear instrumentos de normatização da atividade de segurança pública; estudos técnicos que possam descrever requisitos e atividades ou processos para alcance de parâmetros da segurança pública. Assim, auxiliar na tomada de decisão na atividade operacional e de gestão.
  5. Gestão ambiental e segurança pública – propiciar o entendimento da segurança pública na gestão ambiental, nos estudos de integração entre os órgãos ambientais e nos de segurança pública e de defesa nacional para ações de gestão ambiental no país. Analisar a gestão da segurança pública para a atuação em desastres naturais, tecnológicos, bem como o papel da segurança pública diante da Política Nacional de Resíduos Sólidos.
  6. Gestão de aquisição para a segurança pública – entender os aspectos financeiros e econômicos e de logística aplicados à segurança pública; gestão de compras, licitações, contratos, de materiais e almoxarifado, patrimonial, financeira e orçamentária.

2 MODERNIZAÇÃO E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

Possibilita a compreensão das diversas tecnologias utilizadas em segurança pública, sejam elas ligadas diretamente à comunicação de informações ou às demais atividades em segurança pública, para o aprendizado das tecnologias não-associadas da discussão sobre a finalidade e/ou procedimento policial.

  1. Desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação em segurança – estudar a modernização das instituições de segurança pública; desenvolvimento de sistemas de inteligência contra o crime (intercepção de escritas, sistemas de comunicação, sistemas de vigilância, segurança antibomba etc.) e materiais sofisticados para produção de armamentos. Analisar a eficiência de equipamentos para uso na segurança pública e de proteção individual.
  2. Artificial dentro do Sistema de Segurança Pública – estudar as metodologias de gestão da inteligência artificial utilizadas pelas organizações de segurança pública e apresentar eventuais possibilidades de aprimoramento com o uso das novas tecnologias de gerenciamento e de processamento de imagens para melhorar o desempenho das forças de segurança.

3 VIOLÊNCIA E CRIMINALIDADE

Possibilita a compreensão dos fenômenos da violência e do crime em suas várias formas, proporcionando a compreensão das diversas maneiras e graus da sociedade organizar o controle dessas manifestações, incluindo o entendimento da diferença entre a modalidade jurídico-penal de tratar a violência e outras modalidades, bem como a abordagem interdisciplinar da violência e da criminalidade.

  1. Desenvolvimento regional – compreender o desenvolvimento regional e suas teorias sobre o crescimento e desenvolvimento de regiões distintas e suas implicações na segurança pública, com enfoques em economia, sociologia, antropologia e áreas afins; as dinâmicas, sociais urbanas e rurais, suas características ecológicas ou geográficas e impactos na segurança pública. Estudar políticas de terras públicas, a destruição social, a sociologia dos recursos naturais (incluindo florestas, mineração, pesca e outras áreas), culturas e identidades rurais, cuidados de saúde rurais e políticas educacionais; grupos e instituições, seus processos culturais, com ênfase nos movimentos sociais, e discussões sobre processos de requalificação urbana e nas análises de redes de sociabilidade, juventude e lazer.
  2. Segurança Pública e Sociedade – analisar os fenômenos da criminalidade e da violência material e simbólica em uma perspectiva multi e interdisciplinar; poder e mecanismos de controle social, entre outros assuntos de interesse na relação polícia e sociedade; mediação de conflitos; violência relacionada às drogas e à juventude; modelos de policiamentos e interfaces com a prevenção e controle da criminalidade; criminalidade urbana e organização e dinâmica do controle social no Brasil e no mundo; crime, medo do crime, desordem físicas e sociais; vitimização e criminologia; e estudos comparados do fenômeno da violência e da criminalidade.
  3. Psicologia das massas - estudar as características do comportamento de indivíduos dentro de multidões, o senso de universalidade de comportamento, enfraquecimento de responsabilidade individual e suas implicações na segurança pública.


4 ESTUDOS DE FRONTEIRA

Possibilita a compreensão da realidade dos municípios fronteiriços do Brasil. E, ainda, diagnosticar e analisar o conjunto de relações espaciais que articulam e consolidam um desenho regional, diferenciado de outros municípios não fronteiriços. As práticas econômicas, a dinâmica territorial, a segurança pública e a condição administrativa dos municípios instalados na faixa de fronteira que demandam estudos integrados e carecem de entendimento.

  1. Gestão e governança multinível transfronteiriça – estudar a segurança e demais políticas públicas transversais para atuar na causa dos problemas de segurança e vulnerabilidade nos espaços fronteiriços; diagnóstico e estudos de impacto das fronteiras.
  2. Legislação transfronteiriça - aprofundar o conhecimento nas diversas possibilidades de aprimorar a atuação integrada transacional, acordos existentes ou ainda necessários para fomentar a implementação de regramentos compartilhados e diminuir o hiato normativo nas regiões de fronteiras, especialmente as cidades gêmeas.
  3. Inteligência, gestão da informação e mecanismos de cooperação policial transfronteiriça - evidenciar as boas práticas nacionais e internacionais para diminuir e otimizar o trabalho das diversas agências nos espaços transfronteiriços; dinâmicas, mecanismos e estratégias de desarticulação das organizações criminosas que atuam nas regiões de fronteira; arcos fronteiriços em evidência, dinâmicas e assimetrias; dinâmica, impacto e mecanismos de prevenção e repressão ao contrabando; impacto e estratégias de mitigação dos processos de securitização nas fronteiras.

5 VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE SEGURANÇA PÚBLICA

Possibilita a compreensão da motivação, da eficácia e do bem-estar do profissional em segurança pública. Inclui, também, metodologias que valorizam os profissionais do Susp e lhes permitem ter uma positiva imagem de si como sujeito e como membro de uma instituição. A saúde do trabalhador está associada a sua valorização, tendo como referência a dimensão física e os aspectos psicológicos e sociais da vida profissional. Nesse sentido, esta área temática inclui também a valorização e a proteção da vida e da integridade física, mental e emocional do profissional de segurança pública, referindo-se à adoção de providências técnicas e às modalidades específicas de organização do trabalho e ao estudo do estresse e de suas consequências.

  1. Organização, diagnóstico, intervenção, avaliação e controle de serviços e de programas de saúde dos profissionais de segurança pública – estudar a forma de organização dos serviços e programas de controle de saúde dos profissionais de segurança pública em suas diferentes áreas de atuação e repercussões sobre a saúde; desempenho, equidade, relação público-privado, organização dos sistemas institucionais de saúde e modelos de financiamento; concepções e implantação de serviços de promoção e prevenção em saúde; habitação dos profissionais de segurança pública. Identificar questões relacionadas à saúde do profissional de segurança pública em sua ampla vertente, incluindo aspectos de saúde física, mental e odontológica. Estudar a vitimização dos profissionais de segurança pública; comportamento suicida na segurança pública; dependência química dos profissionais de segurança pública; saúde mental dos profissionais de segurança pública; saúde física e mental dos profissionais de segurança pública; instrumentos psicológicos para o público da segurança pública; saúde e espiritualidade. Estudar os problemas nutricionais e outros agravos de saúde associados, bem como os determinantes do processo saúde-doença e suas interfaces com os processos biológicos, socioeconômicos, culturais e ambientais dos profissionais de segurança pública.
  2. Epidemiologia das doenças nos profissionais de segurança pública, fatores determinantes e/ou condicionantes do processo saúde-doença nos profissionais de segurança pública - descrever a forma pela qual aparecem e ocorrem as doenças associadas às condições de trabalho no meio da segurança pública; identificação de fatores de risco ou construção de sistemas de informações para promoção da saúde desses profissionais; distribuição das diferentes doenças crônicas não transmissíveis com ênfase em comportamentos, fatores de risco e sobrevida dos profissionais de segurança pública.
  3. Ensino, pesquisa e extensão dos profissionais da segurança pública – estudar as organizações e estratégias de formação e capacitação dos profissionais de Segurança Pública; perfil profissiográfico, formação, educação continuada, das habilidades e competências sociais do Profissional de Segurança Pública e Defesa Social; grupos de pesquisa, programas de pós-graduação, Instituições de Ensino superior compostos por instituições de Susp.
  4. Programas de incentivo aos Profissionais de Segurança Pública – estudar a aplicação das normas relativas aos profissionais de segurança pública; estudo do nível de aptidão física e composição corporal do profissional de segurança pública durante a sua carreira; programas institucionais de incentivo a prática regular de exercício físico; análises sob a percepção dos profissionais de Segurança Pública e cenário da política de valorização do profissional de segurança pública na atualidade.
  5. Segurança no Trabalho e Qualidade de vida no trabalho – compreender a ergonomia dos ambientes de trabalho na Segurança Pública; políticas específicas de Segurança e Saúde no Trabalho voltadas para os profissionais de segurança pública nos moldes do que é aplicado aos diversos profissionais; propositura de normativos relativos à saúde e segurança do trabalho que contemplem os profissionais de segurança pública; determinação de ações de valorização profissional da perspectiva dos profissionais de segurança pública.

6 POLÍTICAS DE SEGURANÇA PÚBLICA

Possibilita a compreensão e avaliação de políticas de segurança pública a partir de abordagem crítica de seus fundamentos, objetivos e metas. Subsidiando a produção do conhecimento, assim como a discussão de políticas públicas por meio estudos que possibilitem uma melhor compreensão e análise dos contextos de realidades micro e macro que envolvem questões de violação e defesa dos direitos humanos, as organizações e avaliações de políticas públicas de segurança, os movimentos de construção da cidadania e das manifestações da violência e as expressões das conflitualidades.

  1. Gestão e Políticas Públicas – compreender e avaliar as políticas da Segurança Pública; formulação, implementação, monitoramento e avaliação, com uma visão interdisciplinar e multisetorial, de caráter proativo e integrador; comparativos e monitoramento de políticas públicas de segurança; estudo de políticas internacionais, estaduais e municipais de segurança pública.
  2. Integração Social - identificar os níveis de participação social na segurança pública e suas formas de incidência, de forma integrada institucionalmente com os conselhos comunitários, associações de moradores, organizações da sociedade civil e outras formas correlatas, buscando compreender as dinâmicas do crime e as implicações da integração social em segurança pública para redução de índices criminais;
  3. Legislação em Segurança Pública - compreender e avaliar as legislações nacionais e locais de preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, suas dinâmicas de criação e participação cidadã, seus impactos na política nacional de segurança pública e suas efetividades.
  4. Acesso à Segurança Pública - identificar estudos de políticas, estratégias e ações que visem ampliar o acesso à segurança pública; acesso do cidadão à segurança pública, seja em seu aspecto físico, seja no aspecto informacional, na perspectiva da qualidade da cidadania e da democracia, dada a sua função instrumental de mobilização e de efetivação de direitos humanos, sociais e econômicos. Identificar o nível de satisfação dos cidadãos no que se refere aos resultados da prestação de serviços da segurança pública.

7 PRÁTICAS EM SEGURANÇA PÚBLICA

Possibilita a compreensão da realidade e do cotidiano da profissão em segurança pública, buscando exemplos de ações de sucesso tanto na área operacional, especializada quanto administrativa. Propiciar, resultados que possam fundamentar com segurança as ações de profissionais de segurança pública no momento da tomada de decisão para preservação da ordem pública.

  1. Empreendedorismo em Segurança Ordem Pública - compreender o desenvolvimento, adoção e divulgação de novos produtos e serviços das instituições de segurança pública; casos de sucesso entre grupos e indivíduos na implementação de processos no sistema de segurança pública; análises de substâncias químicas em matrizes biológicas realizadas pelos Laboratórios periciais estaduais, no que se refere a acidentes de trânsito, fatais ou não; soluções para a cadeia de custódia; boas práticas em estudos policiais, de desastres, de incidentes, de incêndios, de instituições prisionais e de polícia judiciária. Realizar estudos e identificar práticas diferenciadas do modo de exercer a atividade de segurança pública, com foco nas práticas.
  2. Práticas de serviços na Segurança Pública – analisar as boas práticas e ações de serviço operacional nas diversas áreas, especializadas ou cotidianas, que demandam atendimento ao cidadão com conhecimento especializado em operações especiais e de choque; animais; motorizados; aquáticos; ambientais; e demais enfoques da segurança pública; atividades de ordem e segurança pública; experiências de melhor convivência social e democrática; vertente de objetos teóricos e fenômenos empíricos, enquanto categorias centrais para análise da área da segurança pública como ciência.

8 INTELIGÊNCIA EM SEGURANÇA PÚBLICA

Possibilita identificar de que forma a atividade de inteligência pode colaborar para um desempenho mais eficiente como ferramenta de exercício da segurança pública. Os modelos de investigação que tornam mais eficiente o combate à criminalidade como base às ações de Segurança Pública

  1. Policiamento orientado pela Inteligência (Inteligence-Led Policing) - debater sobre o modelo ILP é atual e necessário; planejamento da aplicação dos recursos das organizações deve ser baseado em um conjunto de dados metodologicamente coletados e processados, gerando economia de meios e otimização de resultados; a produção de conhecimento e os produtos desenvolvidos pelas agências de Inteligência, processo de tomada de decisão; emprego de ferramentas analíticas para a produção de conhecimentos e a importância da tecnologia como eixo estruturante da Atividade de Inteligência, nos termos da Estratégia Nacional de Inteligência em vigor no país.
  2. Segurança Pública, Inteligência de Segurança Pública, Inteligência Bombeiro Militar, Inteligência de Imagem, Tecnologia – estudar o processamento de imagens e interação, inteligência computacional, imagem satélite, interação homem-computador, processamento paralelo e distribuído, redes de computadores, segurança da informação, meio ambiente, incêndios florestais, bem como o dimensionamento dos efeitos produzidos pelo fogo sobre o ambiente; monitoramento dos incêndios florestais, a nível nacional e em escalas regionais, através de imagens de satélite; planejamento nacional das atividades de controle de incêndios florestais, o disciplinamento das atividades de uso do fogo controlado, bem como a avaliação dos efeitos do fogo sobre a atmosfera.
  3. Estudo de casos concretos de investigações policiais em que o assessoramento prestado pela Agência de Inteligência tenha impactado em um resultado positivo - possibilitar a disseminação e a exposição de boas práticas e expertise profissional de diversas agências de inteligência, com o intuito de auxiliar órgãos que autem nesta área por meio da aplicação de condutas semelhantes que possibilitem o bom desempenho em suas atuações.
  4. Operações de Apoio à Informação - estudar melhores formas que assessorem a tomada de decisão nos variados níveis organizacionais; métodos de comunicação planejada e direcionada com o objetivo de influenciar emoções, opiniões e comportamentos são empregados por forças de segurança e defesa.
  5. Produção do conhecimento em inteligência e as distorções cognitivas da compreensão da realidade - evidenciar os riscos que podem existir quando a produção do conhecimento em inteligência de segurança pública é influenciada pelas distorções cognitivas e suas imparcialidades na compreensão da realidade impactando diretamente na tomada de decisão.
  6. História, perfil das lideranças, objetivos e expansão das principais facções criminosas do país – analisar o combate ao crime organizado e conhecer as principais e mais atuantes facções do país; sua história e local de origem, suas lideranças atuais e passadas, seus objetivos na atividade criminal e quais estados/países.